SEI DE UM RIO

Sei de um rio

sei de um rio

em que as únicas estrelas

sempre nele debruçadas

são as luzes da cidade

Sei de um rio

sei de um rio

rio onde a própria mentira

tem o sabor da verdade

Sei de um rio

meu amor dá-me os teus lábios

dá-me os lábios desse rio

que nasceu na minha sede

mas o sonho continua

e a minha boca até quando

ao separar-se da tua

vai repetindo e lembrando

Sei de um rio

sei de um rio

*

Meu amor dá-me os teus lábios

dá-me os lábios desse rio

que nasceu na minha sede

mas o sonho continua

e a minha boca até quando

ao separar-se da tua

vai repetindo e lembrando

Sei de um rio

sei de um rio

Sei de um rio até quando

(poema de Pedro Homem de Mello e Alain Oulman
cantado por Camané)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s