PENSAMENTOS DA MENTE ADORMECIDA

Um sonho que não se interpreta é como uma carta que não se lê (Talmude). O meu sonho passou muito depressa, a narrativa, os diálogos, senti-os fantasiosos mas o pensamento, esse, era mesmo meu; sentia como se estivesse acordada! Absorvia o enredo e dominava as sensações genuínas e férteis da minha mente adormecida. Olhava a baía de Luanda (do 11º andar) e da varanda, agora vazia, apetecia-me apregoar à madrugada esplendorosa e infindável (sentia nas minhas mãos o parapeito da varanda, os cheiros africanos envolviam-me, o luar cheio, enérgico, tornavam-me irreal). Inspirei a madrugada, abri os ombros e murmurei: tenho saudades…

http://www.youtube.com/watch?v=lkQhaXi0ACw

Sentimos saudade de certos momentos da nossa vida e de certos momentos de pessoas que passaram por ela
(Carlos Drummond de Andrade)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s