NOITES DE GUERRAS INVENTADAS

Não sei o nome do anjo que me acorda quando presa em pesadelos me debato com os temores que invento. E sofro. E transpiro ao ritmo de um coração tresloucado. E quando sufoco ele, o anjo, agarra-me, dá-me a mão, orienta-me ao regresso no alinhar de estrelas que me conduzem ao mundo onde me deito e, por vezes, me debato com todos os elementos da Natureza, conhecidos e os outros que invento. Nem sei como é, nem sei chamá-lo mas, deve existir! Só um anjo nos sabe amparar assim.

O estudo em geral, a busca da verdade e da beleza são domínios em que nos é consentido ficar crianças toda a vida
(Albert Einstein)
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s