Archive for Maio, 2009

MAIS SENSÍVEL, HUMANITÁRIO, AMOROSO…

Leia este breve diálogo entre o teólogo brasileiro Leonardo Boff (escritor e professor universitário, expoente da Teologia da Libertação no Brasil. Foi membro da Ordem dos Frades Franciscanos) e Dalai Lama (acredita-se que o Dalai Lama seja a reencarnação de uma longa linha de tulkus que optaram pela reencarnação, a fim de esclarecer a Humanidade). Leonardo Boff diz:

-No intervalo de uma mesa-redonda sobre religião e paz entre os povos, na qual ambos participávamos, eu, maliciosamente, mas também com interesse teológico, perguntei-lhe no meu fraco em meu inglês: Santidade, qual é a melhor religião?Esperava que ele dissesse: é o budismo tibetano ou são as religiões orientais, muito mais antigas do que o cristianismo. O Dalai Lama fez uma pequena pausa, sorriu, olhou-me bem nos olhos (o que me desconcertou um pouco, por que eu sabia da malícia contida na pergunta) e afirmou: a melhor religião é a que mais te aproxima de Deus. É aquela que te faz melhor.

Para sair da perplexidade diante de tão sábia resposta, voltei a perguntar: a que me faz melhor? Ele respondeu: aquilo que te faz mais compassivo (compaixão) e, aí, senti a ressonância tibetana, budista, taoísta de sua respostaaquilo que te faz mais sensível, mais desapegado, mais amoroso, mais humanitário, mais responsável. A religião que conseguir fazer isso de ti é a melhor religião. Calei-me, maravilhado, e até aos dias de hoje recordo sua resposta sábia e irrefutável .

Se quer transformar o mundo, mexa primeiro no seu interior
( Dalai Lama )
Anúncios

PAULO SERÔDIO – AFRO-AMERICANO BRANCO


Ferreira Fernandes é um jornalista de pura gema (não consegui uma foto sua mas, na tentativa de ressaltar o lado africano do texto, decidi-me por mostrar uma imagem de África). Ler as suas crónicas, na última página do Diário de Notícias, é um salutar hábito que não dispenso. Pensamentos que refectem sensibilidade e actualidade relatados em textos breves mas palpitantes. Com ritmo. Inspirados e inspiradores. A sua crónica de hoje reflecte tudo isso.


Paulo Serôdio, de 45 anos, nasceu em Moçambique, numa família portuguesa de três gerações em África. Foi para os Estados Unidos, em 1984, naturalizou-se americano, casou, teve filhos e, já quarentão, decidiu tirar Medicina. Queria trabalhar nos Médicos Sem Fronteiras, no continente onde nasceu. Na Faculdade de Medicina de Nova Jérsei, em Newark, numa aula em que era pedido aos alunos que se definissem culturalmente, Serôdio respondeu: “Afro-americano branco.” Uma colega negra insurgiu-se: aquilo era um insulto! E o professor ordenou-lhe que nunca mais se definisse assim. Paulo Serôdio insistiu e foi suspenso da escola – há um processo judicial que corre sobre o assunto (li a história no site da cadeia televisiva americana ABC, alertado por um post, ontem, no blogue Blasfémias). É uma história de ignorância. Do triângulo “africano, americano e branco” é claro que o que incomoda é a junção de africano com branco. Se Paulo Serôdio quiser, serei sua testemunha. E levo uma longa lista de brancos que deram a vida, o trabalho e o amor pela sua pátria africana.

O rio consegue atingir os seus objectivos porque consegue contornar os obstáculos
(Provérbio africano)

O PODEROSO SEGREDO DOS ESPARGOS

A Dr. Helena Cid, nutricionista, num excelente texto desvenda-nos o segredo dos espargos. Por vezes esquecidos, mas sempre deliciosos. E não só. Leiam. Não é por acaso que o cardápio do Dia dos Namorados tem quase sempre como entrada um creme de espargos ou uma salada de espargos e cogumelos. Há muito que os espargos são vistos como um alimentos afrodisíaco, que aumenta a libido e a intensidade das sensações. O segredo está na vitamina B3, que tem um princípio vasodilatador dos vasos sanguíneos. Assim, para além de serem um legume bastante completo, rico em ácido fólico, sem calorias nem colesterol, os espargos têm propriedades afrodisíacas.

Originários da Ásia e cultivados desde a antiguidade, os espargos podem assumir a cor verde (mais pequenos e menos suculentos), brancos (tenros e adocicados) e violeta (de sabor mais intenso). Independentemente da sua origem, qualquer das variantes é pouco calórica e rica em vitaminas. Talvez por isso, a gastronomia alentejana os tenha recebido tão bem, e conseguido torná-los num ingrediente indispensável nas sopas e nas migas. Mas há outras formas saborosas de os integrar numa refeição: em entradas, sopas, saladas ou sob a forma de souflé. Apesar de a sua colheita estar prevista para os meses de Maio e Junho, tal não deve constituir um constrangimento para consumi-los todo o ano. A opção pode passar pelas sopas de espargos já confeccionadas ou, se os preferir ao natural, através das conservas.

Para além dos benefícios nutricionais conseguidos através da ingestão de espargos, este vegetal pode ainda trazer outros prazeres. Na verdade, alguns nutrientes, como é o caso do complexo de vitaminas B e B1, actuam sobre os neurotransmissores que influenciam a predisposição sexual. Por outro lado, o ácido fólico estimula a produção de histamina que aumenta a apetência para atingir o orgasmo, tanto masculino como feminino. Os gregos e os romanos antigos atribuíam outras propriedades terapêuticas aos espargos, evocando a sua capacidade de curar desde a dor de dentes até ao reumatismo. Em causa estão as suas propriedades nutricionais, que começam na proteína vegetal e no alto teor de fibras. Mas há outros benefícios a ter em conta:

* Baixos em calorias, apenas 20 kcal em cinco espargos
* Isentos de colesterol
* Ricos em potássio, que desempenha um papel importante no metabolismo celular
* Importante fonte de fibras solúveis e de ácido fólico, que actua enquanto nutriente protector da saúde cardiovascular
* Ricos em vitamina C, ajudam a energizar e proteger o organismo das infecções
*Fonte do complexo de vitamina B, essencial ao bom funcionamento do metabolismo, nomeadamente vitamina B1, que ajuda as células do organismo a converter os hidratos de carbono em energia
*Antioxidantes – têm vitamina A e C
*Fonte de ferro, reforça o sistema imunitário e previne as anemias.

Os espargos contém ainda uma acção probiótica, que estimulam de forma natural o estômago e auxiliam no processo digestivo. Outra boa notícia para as mulheres são os benefícios da vitamina C e E que, para além de protegerem o organismo da acção dos radicais livres, retardam os efeitos do envelhecimento e deixam a pele, as mãos e o cabelo mais saudáveis. Grandes aliados das dietas e das grávidas. Quem disse que estar de dieta é sinónimo de comer mal? Sabia que a ingestão de cinco espargos equivale à ingestão de 60 por cento do valor diário recomendado de ácido fólico (200 a 400 miligramas)? Esta vitamina é essencial na formação das células, na prevenção das doenças do fígado e, no caso das grávidas, essencial na prevenção de malformação congénita do sistema nervoso do bebé.

Os espargos também são ricos em fibras solúveis, têm poucas calorias e sal, o que faz deste legume uma opção saudável e saciante para todos os dias e, especialmente, para quem está a fazer dieta. Da família da classe Liliopsida, a sua composição nutricional potencia as suas propriedades diuréticas, actuando enquanto desintoxicante já que ajuda os rins na sua tarefa de eliminar os líquidos, uma arma natural no tratamento da obesidade. Por outro lado, previne também o aparecimento de pedras no rins. O consumo regular de espargos estimula o sistema imunitário, protegendo o organismo da acção dos radicais livres.



Nós somos o que pensamos. Tudo que somos surge com os nossos pensamentos. Com eles, nós fazemos o mundo!
(Buda)


A PINTORA QUE DESAFIOU O SÉCULO XIX

Mary Cassatt, pintora impressionista, faria hoje 165 anos; nasceu a 22 de Maio de 1844 e faleceu a 14 de Junho de 1926 (82 anos), perto de Paris. Desde muito cedo que a América a fascinavam e foi aí que viria a estudar arte na Academia da Pensilvânia. Ela teve o grande mérito de, no século XIX, enfrentar e vencer num mundo marcadamente masculino. Participou em várias exposições de 1879 a 1886, evidenciando-se as suas obras por um estilo muito próprio onde a suavidade e a luminosidade eram marcantes. Pintou muitas crianças. Nas suas telas encontram-se sensualidade, pureza, movimento. Edgar Degas, grande admirador das suas obras -eram amigos mas alguns historiadores consideraram-nos amantes o que não era confirmado por outros, devido à maneira de ser do pintor. Teve forte influência na mudança de estilo de Mary (adorava crianças. Degas era estéril) que começou a usar cores claras. Degas, frequentemente, defendeu-a perante alguma crítica da época que não tinha por Mary tanta admiração. Algumas das suas telas foram severamente criticadas. Mary conviveu com grandes pintores como Monet, Pissarro, Renoir, entre outros e admirava Manet, Courbet, e, claro, Degas. Em 1868 fez a sua primeira exposição e em 1884, com 30 anos, deixou de pintar.

http://www.youtube.com/watch?v=7JswrTIuct0

Uma vida é uma obra de arte. Não há poema mais belo que viver em plenitude
(Georges Clemenceau)



APRENDE A SER COMO EL UNIVERSO


Habla simplemente cuando sea necesario.
Piensa lo que vas a decir antes de abrir la boca.
Sé breve y preciso ya que cada vez que dejas salir una palabra,
dejas salir al mismo tiempo una parte de tu chi.
De esta manera aprenderás a desarrollar el arte de hablar sin perder energía.
Nunca hagas promesas que no puedas cumplir.
No te quejes y no utilices en tu vocabulario
palabras que proyecten imágenes negativas
porque se producirá alrededor de ti
todo lo que has fabricado con tus palabras cargadas de chi.


Si no tienes nada bueno, verdadero y útil qué decir,
es mejor quedarse callado y no decir nada.
Aprende a ser como un espejo: Escucha y refleja la energía.
El universo mismo es el mejor ejemplo de un espejo
que la naturaleza nos ha dado,
porque el universo acepta sin condiciones nuestros pensamientos,
nuestras emociones, nuestras palabras, nuestras acciones
y nos envía el reflejo de nuestra propia energía
bajo la forma de las diferentes circunstancias
que se presentan en nuestra vida.


Si te identificas con el éxito, tendrás éxito.
Si te identificas con el fracaso, tendrás fracasos.
Así podemos observar que las circunstancias que vivimos
son simplemente manifestaciones externas
del contenido de nuestra habladuría interna.


Aprende a ser como el universo,
escuchando y reflejando la energía
sin emociones densas y sin prejuicios.
Porque siendo como un espejo sin emociones
aprendemos a hablar de otra manera.
Con el poder mental tranquilo y en silencio,
sin darle oportunidad de imponerse
con sus opiniones personales
y evitando que tenga reacciones emocionales excesivas,
simplemente permite una comunicación sincera y fluida.


No te dés mucha importancia, y sé humilde,
pues cuanto más te muestras superior,
inteligente y prepotente,
más te vuelves prisionero de tu propia imagen
y vives en un mundo de tensión e ilusiones.
Sé discreto, preserva tu vida íntima,
de esta manera te liberas de la opinión de los otros
y llevarás una vida tranquila volviéndote
invisible, misterioso, indefinible,
insondable como el Tao.


No compitas con los demás, vuélvete como la tierra
que nos nutre, que nos da lo que necesitamos.
Ayuda a los otros a percibir sus cualidades,
a percibir sus virtudes, a brillar.
El espíritu competitivo hace que crezca el ego
y crea conflictos inevitablemente.
Ten confianza en ti mismo,
preserva tu paz interna
evitando entrar en la provocación
y en las trampas de los otros.


No te comprometas fácilmente.
Si actúas de manera precipitada
sin tomar conciencia profunda de la situación,
te vas a crear complicaciones
La gente no tiene confianza en aquellos que muy fácilmente dicen “sí”,
porque saben que ese famoso “sí” no es sólido y le falta valor.
Toma un momento de silencio interno
para considerar todo lo que se presenta
y toma tu decisión después.
Así desarrollarás la confianza en ti mismo y la sabiduría.


Si realmente hay algo que no sabes,

o no tienes la respuesta a la pregunta que te han hecho, acéptalo.
El hecho de no saber es muy incómodo para el ego
porque le gusta saber todo, siempre tener razón
y siempre dar su opinión muy personal.
En realidad el ego no sabe nada,
simplemente hace crer que sabe.


Evita el hecho de juzgar y de criticar,
el Tao es imparcial y sin juicios,
no critica a la gente,
tiene una compasión infinita y no conoce la dualidad.
Cada vez que juzgas a alguien
lo único que haces es expresar tu opinión muy personal
y es una pérdida de energía,
es puro ruido.
Juzgar es una manera de esconder sus propias debilidades.
El sabio tolera todo y no dirá ni una palabra.


Recuerda que todo lo que te molesta de los otros
es una proyección de todo lo que
todavía no has resulto de ti mismo
Deja que cada quien resuelva sus propios problemas
y concentra tu energía en tu propia vida.
Ocúpate de ti mismo, no te defiendas.
Cuando tratas de defenderte
en realidad estás dándole demasiada importancia
a las palabras de los otros
y le das más fuerza a su agresión.
Si aceptas el no defenderte estás mostrando
que las opiniones de los demás no te afectan,
que son simplemente opiniones
y que no necesitas convencer a los otros para ser feliz.


Tu silencio interno te vuelve impasible.
Haz regularmente un ayuno de la palabra para volver a educar al ego
que tiene la mala costumbre de hablar todo el tiempo
Practica el arte de no hablar.
Toma un día a la semana para abstenerte de hablar.
O por lo menos algunas horas en el día
según lo permita tu organización personal.
Este es un ejercicio excelente para conocer
y aprender el universo del Tao ilimitado
en lugar de tratar de explicar con las palabras qué es el Tao.


Progresivamente desarrollarás el arte de hablar sin hablar
y tu verdadera naturaleza interna
reemplazará tu personalidad artificial,
dejando aparecer la luz de tu corazóny
el poder de la sabiduría del silencio.
Gracias a esta fuerza atraerás hacia ti todo lo que necesitas
para realizarte y liberarte completamente.
Pero hay que tener cuidado de que el ego no se inmiscuya.
El poder permanece
cuando el ego se queda tranquilo y en silencio.
Si tu ego se impone y abusa de este poder
el mismo poder se convertirá en un veneno,
y todo tu ser se envenenará rápidamente.


Quédate en silencio, cultiva tu propio poder interno.
Respeta la vida de los demás y de todo lo que existe en el mundo.
No trates de forzar, manipular y controlar a los otros.
Conviértete en tu propio maestro y deja a los demás ser lo que son,
o lo que tienen la capacidad de ser.
Dicho en otras palabras, vive siguiendo la vida sagrada del Tao.


Texto taoísta traducido por
Oscar Salazar