Archive for Agosto, 2009

RAROS E INESPERADOS MOMENTO DE MAGIA

Raramente, muito raramente, a vida tem momentos tão mágicos, tão intensos, que conseguem parar o relógio do Universo e, parado, o momento é só nosso. Ficamos sábias, sem respiração e, surpreendidas, agarramos a imagem para que se torne sonho dominado e nos ilumine sempre que revivido. Momentos intensos. Basta um olhar, um sorriso simples e o chamamento à vida tem a duração de um milésimo de segundo quando o relógio do Universo parado trabalhou só para nós e alimentou a reserva inesgotável de magia, capaz de nos levar, voando, pelos espaços abertos da nossa capacidade de sonhar. Bastou um olhar e a fantasia roçou a perfeição, ficou mais próxima da vitória.

…Cada pessoa que passa na nossa vida passa sozinha, e não nos deixa só, porque deixa um pouco de si e leva um pouquinho de nós…
(Charles Chaplin)
,
Anúncios

ACABOU A TRAVESSIA DO DESERTO DA SELECÇÃO


O tabuleiro de xadrez está já arrumado. Já se fizeram as peregrinações solitárias. Já se choraram lágrimas e soltaram raivas. Já passou o tempo dos agradecimentos e das decepções. Tudo está à frente com um núcleo de jogadores que, pergunto, qual é a equipa que tem um conjunto assim? Só de ler os nomes provoca arrepio. Vamos abrir o coração, com sinceridade, e aceitemos frontalmente, com verdade, o treinador e a Selecção Nacional. Sejamos um País positivo que sabe dar as mãos aos nossos jogadores para estarmos na África do Sul. Somos ou não somos o 12º jogador? Vamos a isso.
*

Reze como se tudo dependesse de Deus e trabalhe. como se tudo dependesse de você
(Cardeal Shellman)



A SERENA DAMA DO LAGO DE ALTHORP


Por muitos anos que passem deseja-se que Diana de Gales esteja verdadeiramente em paz. A sua morte, tal como a sua vida, foram marcantes.

Vento é um cavalo: ouve como ele corre pelo mar, pelo céu…
(Pablo Neruda)

JACKSON, AMOU A VIDA MAS NÃO ENTENDEU O MUNDO DOS HOMENS


Michael Jackson morreu a 25 de Junho de 2009 e, segundo as últimas notícias, ainda não encontrou (29 de Agosto), na Terra, o local do merecido repouso físico. Se fosse vivo faria hoje 50 anos. O que dele foi escrito, depois de morto, mataria qualquer moribundo: não tinha nariz, não tinha cabelo, tinha as pernas em ferida, parecia um velho e, curiosamente, no dia anterior tinha estado a ensaiar para os 50 espectáculos programados (ele só queria fazer 1o!). Ensaios que, parecem, vão ser transformados em filme. É tudo confuso o que se diz de Michael -nunca vi nenhum comentário feito pela ex-mulher, Lisa Marie Presley, com quem se casou em 1994. Estiveram juntos dois anos. Daria para uma palavra reconfortante?- : é pai , não é pai; tem filho, não tem filho? Era uma pessoa maravilhosa ou um predador? Chega.

A estas horas, aliás, há muitas horas, o vento já o envolveu, o fogo do Sol já o purificou e as águas das nuvens deixaram-no liberto de qualquer resíduo terrestre. Agora, ele move-se no seu verdadeiro universo com energia própria e a solidão mesclada da sua sofredora e brilhante vida está agora sintonizada no Infinito. É já pó de estrelas, circula por entre elas e Legiões de Luz acompanham-no nas suas deambulações. Na Terra, cultivou o hábito de ficar em silêncio, principalmente quando se sentia só e, aí, inquieto, procurava o palco onde soltava todas as vibrações de um talento -vindo da Fonte Universal- arrebatador que o consumia e o realizava. A energia do seu corpo ainda anda por aí encerrada em caixa dourada à espera de descanso. Ele foi um Oceano de poderosas renovações. Amou a vida, mas não entendeu o mundo dos homens. Transmutou-se.

*

Não existe o esquecimento total: as pegadas impressas na Alma são indestrutíveis
(Thomas De Quincey)


TED KENNEDY – O DEFENSOR DE UM SONHO

Obama, é um Presidente próximo do povo. Não se isola. Não se endeusa (quando ri, ri abertamente, não sorri por condescendência). Escuta-lhe pedidos e protestos, pede-lhe ajuda e opinião e, frequentemente, comunica com ele através de e-mail, uma ferramenta informática que usa desde as renhidas Primárias. A morte de Ted Kennedy, de quem recebeu precioso apoio na recta final das ultimas eleições Presidenciais, quando os Republicanos e Democratas usavam os trunfos finais, o senador Kennedy não hesitou (apesar de muito debilitado fisicamente) em dizer à América: esta é a hora da mudança. É o tempo de Barack Obama. Na hora da sua morte o Presidente fez chegar às caixas de mensagens de milhões de americanos o seu pesar.

Michelle e eu ficámos inconsoláveis ao sabermos esta manhã da morte de nosso querido amigo, o senador Ted Kennedy. Por quase cinco décadas, a sua obra no avanço dos direitos civis, saúde e bem-estar económico do povo norte-americano, teve o seu nome. As suas ideias e ideais ficaram carimbados em dezenas de leis e reflectem-se hoje em milhões de vidas – em idosos que conhecem nova dignidade, em famílias que conhecem nova oportunidade, em crianças que sabem a promessa da educação, e em tudo que pode perseguir o sonho de uma América mais igualitária e mais justa. No Senado dos Estados Unidos, não consigo pensar em ninguém que tivesse gerado maior respeito e carinho por parte dos membros de ambos os lados do corredor.

A sua seriedade, humildade, cordialidade e bom ânimo, eram reconhecidas e admiradas. Ele lutou (apaixonadamente) no plenário do Senado pelas causas que lhe eram caras, e ainda mantinha amizade calorosa além das linhas partidárias. E isso é uma razão pela qual se tornou não só um dos maiores senadores do nosso tempo, mas um dos americanos mais talentosos para servir a nossa democracia. Eu, pessoalmente, senti-me valorizado pelo seu sábio conselho no Senado onde, independentemente do redemoinho de acontecimentos, sempre teve tempo para um novo colega. Admirava a sua confiança e apoio (importantíssimos) na minha corrida para a Presidência. E mesmo travando uma luta desigual com uma doença mortal, não deixei de beneficiar como Presidente do seu incentivo e sabedoria.

A sua luta deu-nos a oportunidade que nos foi negado quando seus irmãos John e Robert nos foram tirados: a bênção da hora de dizer obrigado e adeus. A demonstração de amor, gratidão e boas lembranças que todos testemunhámos é um poderoso testemunho da forma como esta figura singular na história americana tocou tantas vidas. Para a América, ele foi um defensor de um sonho. Para sua família, foi um guardião. Os nossos corações e preces vão para a sua maravilhosa esposa, Vicki, seus filhos de Ted Jr., Patrick e Kara, seus netos e família. Hoje, o nosso País chora a sua morte. Nós, dizemos adeus a um amigo e um verdadeiro líder que soube desafiar-nos a viver com os mais nobres valores. Damos graças à sua memória, que ainda nos inspira.
Atenciosamente,
presidente Barack Obama

*
O valor das coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas inexplicáveis e pessoas incomparáveis
(Fernando Pessoa)