O QUE É O AMOR? NÃO SEI! SÓ ME LEMBRO DE TI!

Tristeza, um nó enorme que aperta o coração. Interesse, ponto de exclamação ou de interrogação no sentimento. Sentimento, é a forma de comunicar do coração quando precisa de enviar um recado. Emoção, um tango que ainda não foi dançado. Desejo, uns lábios com sede. Paixão, apesar do aviso perigo, o desejo está lá e não a vai deixar. Angústia, um nó muito apertado no meio do sossego. Ansiedade, faltam sempre cinco minutos para o que quer que seja. Preocupação, uma coisa que ainda não aconteceu mas não lhe sai do pensamento. Indecisão, sabe o que quer, mas acha que devia querer outra coisa. Agonia, é quando o maestro que há em si se perde completamente. Sucesso, apesar de fazer o que sempre fez, só agora deram por isso!

Sorte, o encontro da competência com a oportunidade. Ousadia, a coragem a dizer ao coração: vai! E ele vai mesmo. Lealdade, uma qualidade dos animais que nem todo o ser humano consegue ter. Decepção um xis a vermelho ou a negro com que risca algo ou alguma pessoa. Indiferença, uma espécie de hibernação, não se interessa por nada. Certeza, a ideia, já cansada de procurar, pára! Desilusão, é quando anoitece dentro de si contra a vontade do dia. Desatino, um desataque de prudência. Alegria, é uma explosão de Carnaval, mesmo que não seja Fevereiro. Razão, é quando o cuidado aproveita o dormir da emoção e assume o comando. Prudência, um buraco na fechadura do tempo. Lucidez, um acesso de loucura ao contrário. Pressentimento, quando vê, mentalmente, um trailer de um filme que nem existe.

Intuição, um pulinho rápido do coração, no futuro. Vontade, é quando o desejo que cisma que você é a casa dela. Culpa, é quando você cisma que poderia ter feito diferente mas, geralmente, não podia. Raiva, é o cachorro que mora em si a mostrar os dentes. Perdão, é quando o Natal acontece em Maio. Renúncia, um não que não queria ser. Amigos, são os anjos que nos levantam quando as nossas asas estão feridas. Felicidade, é o agora que não tem pressa nenhuma. Sorriso, a manifestação dos lábios quando os olhos encontram o que o coração procura. Desculpe, é a palavra que pretende é ser um beijo. Beijo, procedimento inteligentemente desenvolvido para a interrupção mútua do diálogo quando as palavras se tornam desnecessárias. Amor, é quando a paixão não tem outro compromisso marcado. Não, amor é… quando entro e te vejo, me olhas e me sorris. Amor, é um exagero? Não! É um pensar, pensar e repensar nos momentos passados a teu lado? Amor, é…um carinho? Um exagero? Um dilúvio? Uma bonança? Uma insanidade? Um destempero? Um despropósito? Um descontrolo? Uma necessidade? Um desapego? só para quem não o sentiu… Então, o que é o amor? Não o sei definir. Só me lembro de ti!

(desconhecido o autor do texto. Tradução livre, adaptada e aumentada)

Minha Alma tem o peso da Luz. Tem o peso da música. Tem o peso da palavra nunca dita, prestes quem sabe a ser dita. Tem o peso de uma lembrança. Tem o peso de uma saudade. Tem o peso de um olhar. Pesa como pesa uma ausência. E a lágrima que não se chorou. Tem o imaterial peso da solidão no meio de outros
(Clarice Lispector)

Advertisements

7 responses

  1. Salvé!Não comento este seu post, porque não o sinto.Penso que uma pessoa que escreve o anterior – e refiro isto sem o menor vínculo que seja a doutrinas ou religiões instituídas ou demagógicas – mas porque me pareceu consciente do trilho de vida porque o anterior apelo ao Alto, fez-me pensar – porque não li nada seu anteriormente, mea culpa – estaria desligada desses "clichés" de escrita que pretendem definir o que alma não traduz. Para ela não há significados de sentimentos porque ela apenas reconhece o AMOR – embora nenhum SR humano o saiba sentir e dar na sua plenitude. Penso que só saberá isso, quando viver Nele e para ELE!È por isso que não comento este post porque deu-me a sensação de ter sido escrito por outra pessoa.Deixo-lhe algo de um escritor espiritualista sem doutrinas, como convém, mas exemplar, quanto mim, e para o qual fui "encaminhada" a estudar.—————————-"Ser um espiritualista não consiste em praticar actividades ditasespirituais, como a meditação, a oração ou o estudo. O quecaracteriza o espiritualista é o objectivo que ele dá às suasactividades, e esse objectivo deve ser a realização de umaideia, de um ideal superior. Ora, quando se vê por que razões hácada vez mais pessoas que se entregam a práticas espirituais(dominar os outros, seduzi-los, obter sucesso, dinheiro ouglória), há razões para se ficar triste e indignado.O essencial é o objectivo. Assim, qualquer actividade da vidaquotidiana pode ser espiritualizada se se souber como introduzirnela, pelo pensamento, um elemento divino. Ser um espiritualistanão é desprezar a matéria. Ser um espiritualista é trabalharpela luz e para a luz, é aprender a utilizar qualquer trabalhopara se harmonizar com o mundo divino e se ligar ao Criador." In: Omraam Mikhaël Aïvanhov————————Sempre….Mariz

    Novembro 18, 2009 às 2:47 am

  2. Salvé…eu de novoDeixo o endereço onde vou colocando textos de aprendizagem, para quem quiser – embora não hajam muitas visitas, como é de esperar – mas no entanto faço a minha parte. Não impinjo nada a ninguém, mas sim, que as pessoas vejam as coisas diferentemente do que "pensam" ser, á vista desarmada.O que parece…não é! Pura ilusão o que a mente nos faz, pensar e depois sentir.O"ego" é o malabarista de serviço – 24 sobre 24h – excluindo as horas que dormimos, em parceria com a mente… – que nos MENTE – e assim se vai "surfando" nessa onda!Resultado:cai-se da "prancha" e molhamo-nos! E muito bom será se não nos aleijarmos valentemente e por vezes com marcas para toda a vida.Aqui vai…uma página onde se escreve pela boca de quem viveu até á década de 80 e deixou uma vasta informação, a quem dela necessitar e quiser seguir, sob a égide da Verdade, deixada pelo Mestre que por aqui passou há 2000 e tal anos.medita-acçãoDeixo um olhar suspenso no que virá a seguir.Sempre…Mariz

    Novembro 18, 2009 às 3:13 am

  3. MEB

    MarizBoa noite. O texto, como lá refiro não é meu ( é de autor anónimo), mas acho-lhe muita piada. Não tenho a sua elevação, Luz e Perfeição. Sou muito humana, gosto de me emocionar, de fazer disparates, de querer impossíveis e sonhar com fantasias. De sonhar, sonhar e tornar a sonhar. Mas, tenho um coração bom e nele, à minha maneira, guardo Deus da melhor forma que sei. Sei que a estou a decepcionar mas antes isso do que enganá-la.Soi incapaz de mentir e quando escrevo o que escrevo, sinto. Senti até à Alma a minha prece a Deus mas isso não quer dizer que não goste de me debruçar sobre saudades, nostalgia, solidão, esperança, paixão, tontices humanas. Mas, eu sou assim!Saboreio cada linha que me envia e delas faço ponto de aprendizagem. Não se desaponte, não sou uma Alma perdida, sou só uma humana imperfeita. Vou colocar medita-acção nos preferidos.E vou ler e vou aprender mas não deixarei de sonhar.Um beijo

    Novembro 18, 2009 às 6:31 pm

  4. Salvé MEB!Primeiro que tudo, e deixe que desfaça equívoco, eu naõ sou "mais" que ninguém! Simplesmente fiz escolhas e acarreto com as consequências que elas me trouxeram e ainda trazem!Depois, eu não espero nada de ninguém…mas DEUS sim!Por isso vivo só, como de uma monja se tratasse..embora nunca descure tambem os meus sonhos – todos eles REALIZÁVEIS ATÉ AGORA…um deles vou colocá-lo no terreno ainda este mês: trabalhar com idosos, aqui em Sintra no lar S.Agostinho, como voluntária. O resto faço através dos blogs e de mails quando sou solicitada.Sou tão faltosa como qualquer outro mortal…porém estou atenta "aos sinas", ouço-me no silêncio e tento cumprir …impossível seria não perceber o que vou ouvindo.Tento ser melhor a cada dia que passa, até porque o tempo urge.Estas sao as respostas possíveis, ao que me deixou e extensivo é tambem o que retribuo como presente:espero que gosteSempre….Mariz

    Novembro 19, 2009 às 5:58 am

  5. MEB

    Querida MarizAdorei a suas mensagens. A escrita e a musical e, como lhe disse ontem, procurarei diariamente no seu espaço aprender sempre um pouco mais. Para me compreender um melhor, optei por transcrever o que tenho no Messenger, onde pede que me descreva. Fi-lo, como sempre faço tudo, com a maior honestidade. Há já algum tempo. Se me der um pouco do seu tempo, agradeço. Permita-me que lhe dê um abraço amigo.*Vivo no meu mundo e nele procuro entender o que se passa para lá do meu espaço. Sou uma curiosa nata, permanentemente ligada à imensidão do Universo que me extasia, embora não o domine. Sempre fui uma lutadora. Já perdi, já venci mas sempre recomecei. Saboreio cada dia como se fosse o primeiro. Admiro as pessoas mas reconheço que nem todas estão na minha sintonia. Por isso tento ser cada vez mais receptiva e entender a grandeza que cada ser humano encerra. Pinto, escrevo. Adoro viajar e fiz do meu computador um passaporte surpreendente. Leva-me a locais incríveis e dá-me a conhecer e contactar com pessoas que, por acaso, encontro nas vias informáticas.Interesses? Tudo (mas tudo mesmo) o que se relaciona com a Natureza. Uma árvore é capaz de me deixar sem respiração (adoro árvores). Adoro o mar. Adoro estrelas. Ler, ler sempre. Música (muita). Ajudar cada vez mais. Sorrir cada vez mais e sentir que esse sorriso é capaz de alegrar alguém. Aprendi, no passar da vida, que um abraço amigo é a maior riqueza do mundo. Gostaria de ter uma Fundação onde ajudasse idosos e crianças. Se tivesse poder proibia que existissem no mundo crianças sem amor.

    Novembro 19, 2009 às 7:16 pm

  6. MEBSe tem disponibilidade financeira, porque não avança com a sua Fundação?Comece por exemplo com uma assoc. sem fins lucrativos… o resto virá por acréscimo se for esse o projecto que a sua alma tráz.Desisti há muito do messenger, porque é viciante e enquanto se escreve uma frase, dir-se-ia a mesma num segundo por telefone ou telemóvel. A vibração da voz sempre é mais abrangente do que a escrita. Sente-se mais quem está do outro lado.Os computadores são objectos que vieram nesta Era para alienar as pessoas e confiná-las ao isolamento.Eu não saio das temáticas a que me propus publicar; porque o que se passa no mundo, toda a gente sabe pelos meios de comunicação social; mas o que se passa a nível interno – sobretudo de pensamento, porque é aí que tudo começa, ninguém sabe. – não é interessante.A irresponabilidade de SI é total.Dos cursos académicos detem-se informação e cultura…nunca Sabedoria! Porém esta é a única que nos vale, quando largarmos este corpo. Quando entrarmos noutro plano, ninguém nos pede diplomas ou o dinheiro que amealhámos, ou as viagens que fizemos, etc.etc.etc. Mas perguntam-nos sim, o que vem escrito – hoje ninguém mais lê porque afirmam ter passado de moda – nomeadamente o que fizemos dos talentos, se agimos com consciência, se louvámos, se oramos, onde fiou a nossa fé, confiança em Quem nos criou, e ainda: quem vestimos quando esteve frio, quem alimentámos quando havia fome, quem visitámos nos hospitais e nas prisoes, como exercemos o serviço ao próximo, etc,etc,etc, – são estas as causas, e sobretudo a sabedoria que colocámos no terreno pela experiência adquirida face aos ensinamentos que a vida nos dá.- se bem que com sangue suor e lágrimas – que pesa na Balança da Justiça de LÀFácil é dar atenção á mente e através dela deturpar sentimentos; as pessoas deixaram de ter nome para passarem a ser meros números e cada uma delas pesa/vale segundo o valor sexual, os conhecimentos/compadrios, os malabarismos que sabe fazer, ou o "yes men"!Repete-se a toda hora o que se houve do Brasil e o verbo "adorar" ganhou terreno, e não tem mais o significado Sagrado que se lhe atribuiu desde os primórdios.São esses pequenos pormenores a que não adiro..e pouco a pouco vou tentando afastar-me do que me é nocivo neste plano. E não sigo doutrinas…nenhuma! Não sigo leis impostas pelos homens… – políticos ou religiosos – sigo a minha consciência e tento não transgredir muito o que referem as Leis Universais. Para mim, ganhar a vida…tem outro significado..vivo quase com o equiparado ao ordenado mínimo nacional.. – pedi a reforma antecipada aos 43…já tenho60…completei-os no dia em que enterrei a minha mãe em Agosto deste ano.Não me apoio em ninguém…nasci em berço de ouro filha única, tive sempre o que quis e o que não pensei vir a ter..hoje nada tenho…vivo quase de caridade e sou feliz…não trocava a minha vida pelo que vivi antes e lidei com as mais altas individualidades da Naçãoao…condecorada por Presidentes etc.Afastei-me de tudo e todos…fui "obrigada a isso", sem sequer me aperceber do que me estava a acontecer O Universo chamou-me e eu não pude dizer que não. O Universo,nunca deixa que me falte nada…nunca!Posso passar sem tudo e/ou sem ninguém…só não posso imaginar sequer, passar um segundo sem sentir o olhar terno e compreensivo do PAI! – e comovo-me sempre com Ele, ou com Maria. Vivo tranquíla, sem medos. E eu que quase caía á cama com uma neura tremenda se não tinha dinheiro para comprar mais um par de sapatos…quando já tinha 14!Hoje vivo com os meus animais e sem espaço para poder receber visitas…e eu que tinha quase sempre as casas cheias e gente – desde o Restelo, a Cascais, já no MOnte Estoril…iniciei o Caminho. Estou em Sintra há 6anos e sei que me vou embora novamente.Esta sou eu…Dos palcos, das artes, do Estado, do ensino, ao serviço aos outros, que desde pequena exerço…Sou uma E.T. assumida, como digo.Agradeço o abraço e retribuoSempre…MAriz

    Novembro 19, 2009 às 9:53 pm

  7. MEB

    MarizEstou sem palavras e sem fôlego. Devorei as palavras mas não dá. Tem de ser calma e atentamente leitura para muitos espaços. Obrigada. Fiquei fascinada com a sua vida. Verdadeiramente fascinada. Quando penso bem no que deve ser e como deve ser imensa nessa Expansão de Amor que conduz ao estado de Luz, sinto-me tão imperfeita.Não tenho a mínima condição financeira para ter uma Fundação. Tenho o sonho de a ter há muitos anos, décadas, desde que morreu o meu marido. Os meus filhos também gostavam mas, situamo-nos no sonho. Deus sabe.Fiquei a pensar que há seis anos veio para Sintra com um propósito mas pensa, tem a certeza, que mudará. Porquê? Já fez tudo o que tinha a fazer aqui ou sente que noutro local pode ser mais útil? Eu tenho 70 anos, acredite que a minha vida dava um livro e dos grandes. Passei por três guerras, recomecei a vida apenas com o que tinha vestido,criei dois filhos sózinha, vivi em muitos lugares do mundo, não tive pais…Bom, conto isto só para lhe dizer que apesar de tantas dificuldades Deus nunca me deixou afundar na luta. Deus sempre foi o farol da minha vida. Obrigada pelo que me possibilita aprender ao ler as suas palavras.Não deixo que nada me perturbe. Já aprendi e tento praticar.Um abraço

    Novembro 20, 2009 às 12:04 am

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s