O DIA MUNDIAL DO TANGO

Não teria sido necessária tanta elegância, tanta sedução, tanto dramatismo, tanto arrebatamento. Bastaria a tua mão na minha cintura, enlaçando-me, conduzindo-me ao som de uma qualquer harmonia. Não te teria exigido uma linguagem de alma, numa intensa forma musical de estar na vida, como se vivesse ardentes e sofridos amores ao ritmo de corações explosivos. Não te pedi tanta energia, tanta paixão. Eras já especial sem necessidade de o exibires. Não te pedi -nunca- que dançasses comigo como se estivéssemos na Lua e a Terra girasse à nossa volta e, ambos, flutuássemos no Universo, transportados por uma intensa e provocante sensação a dois onde o ódio se misturasse com o amor, a elegância com a entrega, a sensualidade com o desejo, nos corpos flexíveis, colados, como se fossem apenas um.

Nunca exigi a maestria de Gardel nem a genialidade de Piazzola. Nunca pedi asas nos pés e porte majestático, nem braços onde voluptuosamente deslizasse, nem esperei murmúrios confidentes dizendo-me que havia céus azuis, lindos, nos meus olhos, enquanto rodopiássemos na elegância de passos largos ou unidos, olhares profundos, quando o meu corpo parecesse cair dos teus braços numa linguagem plástica intensa e expressiva. Bela, misteriosa e arrebatadora. Na verdade, nunca pedi tanta sedução, tanta embriaguez, tanto garbo, tanta virilidade. Pedir, não pedi! Mas, gostava de o ter feito.

http://www.youtube.com/watch?v=dBHhSVJ_S6A

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade

(Carlos Drummond de Andrade)
Anúncios

4 responses

  1. Querida M.Elvira,Estive hoje a fazer tanta coisa…tive visitas para almoçar, que não sobrou tempo para a visitar, Bem estou aqui, mas não li os dois últimos textos.Volto amanhã, sem falta.Deixo-lhe um beijinho doce,

    Dezembro 7, 2009 às 12:39 am

  2. MEB

    Amiga NáOlá, bom dia! Adoro ver que passou por aqui mas sem a tensão de ter que vir deixar um comentário, que agradeço imenso, claro. Passe por aqui quando tiver tempo e lhe apetecer mesmo fazê-lo. Com essa vida tão completa e tão dada aos outros o tempo voa-lhe e, certamente, não lhe sobra muito para respirar fundo e saborear um tempo só para si. Não estar presente nem sempre é estar ausente.ObrigadaBijs

    Dezembro 8, 2009 às 12:53 pm

  3. Minha querida "Bruma",É tão carinhosa que nos faz vir visitá-la sempre que possível. Faz-nos bem ao ego sentir a sua maneira de estar perante a vida! Tem uma sensibilidade não usual nos tempos que correm. Mantenha-se sempre assim pois a Pureza vai rareando e é bom senti-la quando a visitamos.Luís

    Dezembro 9, 2009 às 2:25 am

  4. MEB

    Bom Amigo LuísAs suas palavras sabem a bagos de romã (lembrei-me desta associação por os achar deliciosos).Eu sei que, por vezes, escrevo umas coisas com algum interesse. Todavia, quando chega Dezembro, entro em hibernação e só começo a despertar quando rompem novamente os raios de Sol. Eu também gostei deste texto e fico muito feliz por ter lido as suas palavras. È certamente uma pessoa de coração doce. Um abraço amigo

    Dezembro 9, 2009 às 5:38 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s