OS DESILUDIDOS DA ESPERANÇA…

Há situações na vida, avassaladoras, desmesuradas, que nos deixam sem palavras enquanto apáticos deambulamos por labirintos sem encontros, sem saídas. Somos ausentes de nós próprios. Sem asas, sem fôlego, desiludidos e abandonados, há silêncio na secura da boca cerrada que não emite nem sons nem sopro. Há frio nos dias despojados de esperança e de reflexos quando nos perdemos em patamares de loucura que minam, ganham terreno e podem vitimar. Os desiludidos da esperança não sentem a vibração da vida, não escutam o barulho dos dias e ficam incapazes de invadir, desafiar, provocar o ritmo que os conduz como prisioneiros que arrastam grilhetas pelos caminhos do insucesso. Para eles, fica uma pista e uma canção. A primeira, é o lembrar da imperiosa necessidade de trocar as voltas ao destino e ao pensamento; a segunda, é o conjunto (fabuloso) de palavras e melodia que lhe transmitem uma mensagem de ânimo. De sucesso. De vitória. Avivam-lhe a necessidade de competir consigo próprio, apelando à sua inteligência, ao seu querer.

http://www.youtube.com/watch?v=PV3yWvI9SSM

Os obstáculos não o podem deter. Os problemas não o podem deter. Mais do que tudo, as outras pessoas não o podem deter. Somente você se pode deter a si mesmo
(Jeffrey Gitomer)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s