Archive for Março, 2010

O CINTO QUE O ABRAÇA À VIDA

A caixa de mensagens diariamente é pródiga em surpresas. Por vezes, excelentes! É o caso de um e-mail recebido hoje que me encantou. Trata-se de um trabalho da organização inglesa de trânsito –Sussex Safer Roads Partnership-, responsável pela campanha do cinto de segurança, denominada Embrace Life que, num piscar de olhos, conquistou a atenção de milhões de internautas. Veja e aprecie. Um minuto e 29 segundos de maravilha. Nota 10.

http://www.youtube.com/watch?v=h-8PBx7isoM

O homem é um pedaço do Universo cheio de vida
(Ralph Waldo Emerson)

Anúncios

RECOMEÇAR, É RENOVAR A ESPERANÇA NA VIDA


Não importa nada onde você parou. Em que momento da vida se cansou. O importante é que é sempre possível e necessário recomeçar. Recomeçar, é dar uma nova chance a si mesma, renovar as esperanças na vida, isso é o mais importante. Acreditar novamente em si. Sofreu muito? Foi limpeza da alma. Ficou com raiva das pessoas? Foi para perdoá-las um dia. Sentiu-se só por diversas vezes? É porque fechou a porta até aos anjos. Acreditou que tudo estava perdido? Era o início da cura. Pois é, agora é hora de reiniciar, de pensar na luz, de encontrar novamente prazer nas coisas simples. Que tal um novo emprego? Uma nova profissão? Um corte de cabeço arrojado, diferente? Um novo curso ou aquele desejo de aprender a pintar, desenhar, dominar o computador ou qualquer outra coisa? Quantos desafios, quanta coisa nova neste mundão de meu Deus à sua espera.

Sente-se sozinha? Tolice. Recorde as pessoas que afastou no seu período de isolamento. Foram muitas e tem tanta gente esperando (apenas) um sorriso seu para chegar perto de si. Quando nos trancamos na tristeza, nem nós mesmos nos suportamos, ficamos horríveis. O mau humor vai mexer com o seu fígado, até a boca ficar amarga! Recomeçar, hoje é um bom dia para começar novos desafios. Onde quer chegar? Ir alto. Sonhe alto, queira o melhor do melhor. Queira coisas boas para a vida. Pensando assim trazemos para nós aquilo que desejamos. Se pensamos pequeno, coisas pequenas teremos. Se desejarmos fortemente o melhor e, principalmente, lutarmos pelo melhor, o melhor vai-se instalar na nossa vida. Hoje é o dia da faxina mental. Deite fora tudo que a prende ao passado, ao mundinho das coisas tristes: fotos, peças de roupa, papel de rebuçados, bilhetes de cinema, bilhetes de viagens, tudo o que guardamos quando nos julgamos apaixonados. Deite tudo fora, mas, principalmente, esvazie o seu coração. Fique pronta para a vida, para um novo amor. Lembre-se de que somos apaixonáveis, somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes. Afinal, nós somos o Amor! (C.D.A)


A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-nos do sofrimento, perdemos também a felicidade
(Carlos Drummond de Andrade)


O AMOR VISTO PELAS CRIANÇAS (IRRESISTÍVEL)

«Quando a minha avó ficou com artrite, não se podia dobrar para pintar as unhas dos dedos dos pés. Portanto, o meu avô faz sempre isso , mesmo quando apanhou, também, artrite nas mãos. Isso é o amorRebeca, 8 anos «Quando alguém te ama, a maneira como pronuncia o teu nome é diferente. Tu sentes que o teu nome está seguro na boca dessa pessoa.»Billy, 4 anos «O amor é quando uma rapariga põe perfume e um rapaz põe colónia da barba e vão sair e se cheiram um ao outro.»Karl, 5 anos «O amor é quando vais comer fora e dás grande parte das tuas batatas fritas a alguém, sem a obrigares a darem-te das dele.»Chrissy, 6 anos «O amor é o que te faz sorrir quando estás cansado.»Terri, 4 anos «O amor é quando a minha mamã faz café ao meu papá e bebe um golinho antes de lho dar, para ter a certeza de que o sabor está bom.»Danny, 7 anos «O amor é estar sempre a dar beijinhos. E, depois, quando já estás cansado dos beijinhos, ainda queres estar ao pé daquela pessoa e falar com ela. O meu pai e a minha mãe são assim. Eles são um bocado nojentos quando se beijam.» Emily, 8 anos «O amor é aquilo que está contigo na sala, no Natal, se parares de abrir os presentes e escutares com atenção.»Bobby, 7 anos «Se queres aprender mais sobre o amor, deves começar por um amigo que odeies.»Nikka, 6 anos «O amor é quando dizes a um rapaz que gostas da camisa dele e, depois, ele usa-a todos os dias.»Noelle, 7 anos


«O amor é quando um velhinho e uma velhinha ainda são amigos, mesmo depois de se conhecerem muito bem.» (nem Sócrates, Descartes ou Freud diriam algo mais certo…)Tommy, 6 anos «Durante o meu recital de piano, eu estava no palco e sentia-me apavorada. Olhei para todas as pessoas que estavam a olhar para mim, e reparei no meu pai que estava a acenar-me e a sorrir. Era a única pessoa a fazer aquilo. O medo desapareceu»Cindy, 8 anos «A minha mãe ama-me mais do que ninguém. Não vês mais ninguém a dar-me beijinhos para dormir.»Clare, 6 anos «Amor é quando a mamã dá ao papá o melhor pedaço da galinha.»Elaine, 5 anos «Amor é quando a mamã vê o papá bem cheiroso e arranjadinho e diz que ele ainda é mais bonito do que o Robert Redford.»Chris, 7 anos «Amor é quando o teu cãozinho te lambe a cara toda, apesar de o teres deixado sozinho todo o dia.»Mary Ann, 4 anos «Eu sei que a minha irmã mais velha me ama, porque me dá todas as roupas usadas e tem de ir comprar outras.»Lauren, 4 anos «Quando amas alguém, as tuas pestanas andam para cima e para baixo e saem estrelinhas de ti.»Karen, 7 anos «Amor é quando a mamã vê o papá na casa de banho e não acha isso indecente.»Mark, 6 anos «Nunca devemos dizer ‘Amo-te’, a menos que seja mesmo verdade. Mas se é mesmo verdade, devemos dizer muitas vezes. As pessoas esquecem-se .»Jessica, 8 anos A última: o autor e conferencista Leo Buscaglia falou de um concurso em que teve de ser júri. O objectivo era encontrar a criança mais cuidadosa. O vencedor foi um rapazinho de quatro anos, cujo vizinho era um idoso que perdera recentemente a sua mulher. Depois de ter visto o senhor a chorar, o menino foi ao quintal do idoso, subiu para o seu colo e sentou-se. Quando a mãe perguntou o que dissera ao vizinho, o rapazinho disse:” Nada, só o ajudei a chorar” (recebido por e-mail de uma querida amiga).

http://www.youtube.com/watch?v=FoTGnKq50qE


Os seres humanos são como anjos de uma só asa. Só conseguem voar quando estão abraçados
(Neo Buscarle)

PRINCESA, NO SEU ESPAÇO DE ENCANTAMENTO


Senta-te na beira do tempo, agarra as horas e vive os dias com sofreguidão como se fosses renascer em cada minuto. Olha a vida de frente, abraça-a, agarra-a a ti e sorri, és a princesa do espaço do teu encantamento. Toca-lhe na alma, invoca, insinua. A vida é um desafio que provoca, incendeia, desatina, cria asas que permitem voar para lá dos limites da solidão, dos abandonos, dos desertos, dos murmúrios das areias ora escaldantes ora gélidas. A vida é de voos, de ventos, de amanheceres luminosos, de entardeceres de fúria, de nocturnos de risos que enredam e fazem rodopiar num turbilhão de emoções. Mas tu, suave princesa do teu espaço de encantamento, angélica, sedutora, divina, esplendorosa, sentada na beira do tempo, vives cada dia como se nascesses em cada minuto.

http://www.youtube.com/watch?v=0t4ei1khHPI


Cada dia é uma pequena vida.
(Horácio)




OBAMA, CONSEGUIU EM MESES O QUE NÃO FOI POSSÍVEL DURANTE DÉCADAS

Quando escutei as notícias da vitória da Reforma de Saúde de Obama (Ted Kennedy teria gostado de ter testemunhado aquilo pelo qual lutou durante décadas), pensei: seguramente, amanhã, os americanos vão ter na sua caixa de mensagens um e-mail do Presidente, ele não vai esquecer os que o ajudaram. E assim foi: hoje, pelas 4:40 lá estava a missiva presidencial da qual retiro apenas breves passagens:

Obrigada, Maria

Pela primeira vez na história da nossa Nação, o Congresso aprovou a reforma dos cuidados de saúde. A América esperou cem anos e lutou durante décadas para chegar a este momento. Hoje à noite, graças a si, estamos finalmente aqui. Impressionante o que ajudou a realizar: Por sua causa, cada americano vai finalmente ter a cobertura de cuidados de saúde. Mas a vitória que mais importa hoje à noite vai para além das leis (…) É a alegria das famílias em cada parte desta grande nação, porque podem finalmente receber os cuidados essenciais de que necessitam.

Esta é uma noite de profunda gratidão. Sou grato aos que nas gerações passadas com os seus esforços heróicos trouxeram este grande objectivo ao alcance dos nossos tempos. Sou grato aos membros do Congresso, cujos meses de esforço e voto corajoso permitiram dar este passo final. Mas, acima de tudo, estou grato a si (…). Este dia não é o fim desta jornada. Ainda há muito trabalho duro, e nós temos a solene responsabilidade de fazer o certo. Mas nós podemos enfrentar esse trabalho em conjunto com a confiança daqueles que movem montanhas. A nossa jornada começou há três anos, impulsionado por uma crença compartilhada de que a mudança fundamental ainda é realmente possível. Temos trabalhado duro, juntos, todos os dias a cumprir essa crença. Temos partilhado momentos de grande esperança, e enfrentado atrasos e dúvidas (…). Hoje à noite, graças aos seus esforços poderosos, a resposta é incontestável: Sim, podemos.

Obrigado,

O presidente Barack Obama

É, de facto, um feito impressionante, depois de quase derrotado de um momento para o outro ( indirectamente pela morte de Ted Kennedy, seu aliado), ter agora uma vitória que provavelmente define o início de uma nova era que durará várias décadas na política social norte-americana. É uma vitória que o confirma como um defensor da sustentabilidade social que nos EUA tem sido progressivamente ignorada, desde o início do século passado pelas prioridades crescentes de um sector privado distorcido e que acabou por gerar os mega lobbies que agora foram finalmente derrotados e que terão de se adaptar, literalmente a uma nova ordem. Esta vitória tem o significado mais profundo de traduzir a vontade comum dos norte-americanos, conscientes de que este novo sistema custará um pouco mais a todos, para que também todos passem a ter as coberturas básicas de saúde e assistência social.

Custará, sobretudo, agora para o implementar e sobretudo porque os EUA ainda estão lentamente a emergir da profunda crise que desencadearam e espalharam pelo mundo e, por isso, é uma conversão que será feita em tensão, até que os efeitos globais positivos na sociedade se comecem a sentir daqui por alguns anos. Trata-se, por fim, de uma vitória de arriscada estratégia política porque ou era ganha agora ainda na 1ª fase do 1º mandato, ou convertia-se indefinidamente numa primeira derrota a pesar em todas as seguintes iniciativas políticas de 1ª grandeza que Obama ainda pretende ver aprovadas e não é só o tempo que escasseia.

Também o apoio popular precisa de ser recuperado para essas novas batalhas políticas. Será. Não ao nível de Bush, no pós 11 de Setembro de 2001, mas é possível que seja o apoio suficiente para o levar ao segundo mandato com maioria mais do que confortável. Talvez a conclusão mais interessante deste momento histórico não seja até o efeito mais ou menos positivo que esta aprovação vai ter na sociedade, mas antes a de que, esta vitória só pode ter sido afinal possível porque estamos em presença de um dos mais independentes presidentes norte-americanos dos últimos 100 ou mais anos, o que, aliado a um poder inato para liderar mudanças e ao facto de conduzir os destinos da que ainda é a maior potência mundial por, pelo menos mais 15 anos, poderá significar que estamos, afinal, perante um revolucionário de dimensão planetária que nos vai influenciar a todos nesta e nas próximas gerações.

A maior parte das coisas importantes no mundo foram realizadas por pessoas que continuaram tentando quando parecia não haver esperança de modo algum
(Dale Carnegie)