Archive for Março, 2010

PRIMAVERA – O CUPIDO DOS SENTIDOS

*

Podem cortar todas as flores, mas nunca conseguirão parar a Primavera
(Pablo Neruda)

Anúncios

OLHARES MORTIÇOS NUM INVERNO TEIMOSO


As nuvens voltaram a percorrer os corredores dos dias e pincelaram-no de tons cinza. O vento, em fúria, voltou a sibilar e a agitar o que encontra pela frente, no passar tresloucado que revolve a terra, agita o mar, espalha desconforto numa dança de inquietação. A chuva marcou o regresso humedecendo ainda mais as terras ensopadas que já pedem socorro nas chagas abertas cobertas de água. O tempo não se tem encontrado na harmonia dos dias que antecedem a Primavera que, ao chegar, acaricia raízes, antes da explosão das flores, que pincelarão campos, darão cor à vida e alegria aos que anseiam por dias luminosos e pelo calor que deslizará pelos corpos pálidos, aquecendo-os, revitalizando-os, preparando-os para fascínios de libertação que os tempos quentes convidam. Entretanto, fico a olhar as silhuetas das árvores lambidas pelas nuvens que desceram e passaram fugazes pelos corredores dos dias, indiferentes aos olhares mortiços de quem não lhes apetece dançar, abraçando nuvens e chuvas de um Inverno teimoso que custa a partir.



http://www.youtube.com/watch?v=OzrUs08-SWs



Se choras porque não consegues ver o Sol, as tuas lágrimas impedir-te-ão de ver as estrelas
(Tagore)

A MAGIA DE UMA BOLA QUE VOA POR ENTRE OS JOGADORES


Sempre que olho para um estádio (através da TV) onde no relvado se movimentam (freneticamente) 22 jogadores, correndo atrás de uma bola penso, aliás, reconfirmo que gostaria de entender, de sentir aquela chama encantatória que une milhões em todo o mundo em efusivas manifestações de agrado ou descontentamento. As bancadas fervilham, entoam-se cânticos de apoio ou fazem-se ouvir estridentes sons de desagrado e eu, decididamente, nunca conseguirei ultrapassar a linha divisória que me separa da abertura da dimensão que me deixaria na clarificação de saberes e de sentires. Serei, seguramente, a eterna e ignorante testemunha de um encantamento que não sei agarrar e que se desenrola nos campos relvados de todos os Continentes.


Que segredo de vitalidade será este que desde o ano 2500 a.C., num jogo (criado pelo imperador Huang Tsé) disputado na China, com uma bola de couro, continua numa vibração ascendente em pleno 2010?! Na época não era um desafio de futebol, era um treino militar onde oito jogadores -em cada lado-, tentavam passar a bola por duas estacas de madeiras cravadas no terreno, ligadas por um fio de cera. A trajectória do futebol até ingressar em Inglaterra, no século XVII, é, no mínimo, fascinante, mesmo para uma ignorante como é declaradamente o meu caso. O profissionalismo foi iniciado somente em 1885 e, no ano seguinte, foi criada a International Board, entidade cujo objectivo principal era estabelecer e mudar as regras do futebol. No ano de 1897, uma equipa inglesa (Corinthians) fez uma excursão fora da Europa, para difundir o futebol em diversas partes do mundo. Em 1888, foi fundada a Football League com a finalidade de organizar torneios e campeonatos internacionais. Desde aí até à África do Sul, vai ser (apenas) um saltinho no tempo.




Depois do Chelsea quero trabalhar em Itália. É um futebol que não está a viver um bom momento, mas para um treinador é fantástico, porque é o futebol táctico na sua mais pura realidade. E gostava de treinar a Selecção Portuguesa. Para muitos a Selecção é um trampolim, porque é a maneira de se dar a conhecer ao mundo. Eu não preciso, porque eu sou um treinador do mundo, mas seria a melhor maneira de encerrar a carreira. Gostava de conseguir para Portugal inteiro o que consegui com o Porto
(José Mourinho-2005)



OS CÃEZINHOS DE SÃO PEDRO PRECISAM DA SUA AJUDA



Não é a primeira vez que me refiro à APCA– Associação de Protecção aos Cães Abandonados-, nem sequer a Natália Correia, uma mulher absolutamente notável que diariamente luta contra todas as adversidades ao lado de Ana Pino, dos colaboradores e de um fantástico grupo de voluntárias que vê-las trabalhar, emociona. Tanta dedicação é comovente. Se os tempos sempre foram difíceis para quem quer ajudar mais de 200 cães abandonados (há histórias de quebrar o coração), agora as dificuldades estão a apertar. Muito. Por isso recebi ontem da Ana Pino um e-mail onde pedia ajuda.


Como sabem, a APCA, é uma entidade privada sem fins lucrativos que não tem quaisquer apoios sem ser aqueles que provêm de pessoas individuais que gostam de animais e se solidarizam com a nossa causa. Estamos a passar por muitas dificuldades e precisamos de ajuda e daí estarmos a fazer este apelo. Precisamos dos seguintes artigos que nos estão a fazer muita falta:


– Ração para cão (qualquer tipo de ração serve, gastamos 120 Kg por dia)
– Detergentes com cheiro
– Lixívia
Sacos de lixo resistentes de 50 e 120 litros
– Mantinhas (podem ser tapetes de casa de banho velhos, toalhas, etc. desde que aqueçam os mais frágeis)
– Medicamentos:
– Amoxicilina 500 + Ácido Clavulânico 125
– Amoxicilina 875 + Ácido Clavulânico 125
– Alopurinol 300
– Enalapril 5 mg
– Enalapril 20 mg
– Flagyl 250 mg
– Antibiophilus


Os donativos deverão ser entregues directamente no nosso canil em São Pedro de Sintra ou no nosso Bazar em frente à estação de comboios de Sintra. Para mais informações, contactem-nos pelo nosso email: info@apca.org.pt .
Desde já agradecemos o vosso apoio, pois sem ele seria impossível fazer o nosso trabalho!
APCA – Associação de Protecção aos Cães Abandonados http://www.apca.org.pt

A grandeza de uma nação pode ser julgada pelo modo como os seus animais são tratados
(Mahatma Gandhi)


SONHADORES – OS GUERREIROS DA TRANSFORMAÇÃO



Os sonhos dos grandes sonhadores são obsessivos, estão para lá do horizonte que fixam, sempre fascinados com a conquista, a descoberta, que os aguarda. São os guerreiros da transformação que deixam refúgios e reinventam destinos e futuros permanentemente envolvidos na odisseia, vivida com invulgar paixão. Sonhadores e ansiosos percorrem rumos desconhecidos, levando no coração e na alma a sabedoria de muitas vivas já vividas e outras reinventadas nas que lhes faltam viver. Empolgados, criativos, têm tesouros para conquistar numa ânsia entusiástica que os engrandece quando, sós, dialogam com o silêncio -um sonhador é sempre introspectivo, o seu mundo interior tem a grandeza dos sonhos que acalenta e acarinha-. O reino dos sonhadores é um lugar explosivo, vivem nele com uma determinação e força de vontade imbatíveis percorrendo as azuis estradas do mar, subindo montanhas que roçam os céus, descendo precipícios medonhos, enfrentando perigos por descodificar em sucessivos combates. O sonhador é atraído pela vertigem das tormentas e das conquistas e, muitas vezes, é embalado por brisas de veludo.

http://www.youtube.com/watch?v=FZLasB-dqe4

O que pode mudar o seu pensamento, pode mudar o seu destino
(Stephen Covey)