Archive for Julho, 2010

ESTÁ UMA NOITE SEM RESPIRAÇÃO


Está uma noite de silêncios. Uma noite parada, abrasadora, sem respiração e sem movimento. Nada se mexe debaixo do luar quente (nem árvores, nem flores. Os grilos não cantam com as asas, os pirilampos não brilham, as raízes não crescem, os ribeiros não entoam) que nos deixa vestidas de água que escorre lentamente pela pele e lambe contornos de corpo nu. Suores que tiram sonos e convidam ao desassossego constante que nem o fresco dos lençóis suaviza. É uma noite sem vozes, sem cânticos mas com cheiros inebriantes, fragrâncias doces que surgem em ondas e nos deixam suspensas, na oferta da noite sem respiração onde flutuam, pensamentos, recordações, segredos. Olho a Lua gorda, brilhante, manchada, cúmplice desta canção de embalar oferecida apenas pelos irresistíveis aromas que nos rodeiam e memorizo noites abrasadoras vividas noutros Continentes onde o ritmo frenético, em fúria de emoções, foram um trepidante galopar de vida e de fascínio. Ecoam, ainda, no campo das memórias, o batuque alucinante dos tambores, a cadência das bailarinas que acordaram noites, silêncios e corpos. Sons que ecoam na Alma, embora esta esvoace sempre na mais pura e invejável liberdade. Que quente está o luar!



Aprendi com as Primaveras deixar-me cortar para poder voltar sempre inteira
(Cecília Meireles)

Anúncios

EXPLORA OS TEUS SONHOS ATÉ À VERTIGEM

…Nós vivemos num oceano de vibrações, de cores, de imagens. O mundo visível não é senão um aspecto, uma imagem, um instante do Movimento, como uma onda no mar, ou uma ponta na trama infinita de um facto. Não há mundo, mas uma multidão de mundos. Aprende a ver o interior das coisas, com os olhos do espírito. Não aceites a realidade superficial das coisas. Essa parede não é uma parede mas, sim, um conjunto de moléculas que rodopiam a uma velocidade louca, um mosaico de vibrações que mexem, giram, se modificam constantemente.Utiliza as potencialidades das visualizações. A forma, a imagem sobre a qual meditas tornar-se-ão realidade. Podes explorar as variações múltiplas do Universo. Tudo dependerá do género de mundo que tu quiseres ver aparecer. É um jogo intenso, hipnótico, que nos faz viajar para longe, sem deixar o instante. Se este mundo te aborrece, então muda de mundo. Mudar de mundo, é mudar de consciência. É preciso desaprender, e aprender de outro modo. No limite das tuas percepções vive uma multidão de formas de vida levando uma existência paralela à tua. Aceita o milagre dos outros mundos como uma realidade, tão verdadeira e tão fugitiva como a tua realidade quotidiana.


Temos uma quantidade de corpos, e apenas temos consciência do corpo material. Podes deslocar-te, passar de um corpo para outro. É como se habitasses num apartamento de um imóvel de cinquenta andares, sem saber que é possível abrir uma porta, explorar as outras divisões, os outros andares. Retoma consciência de ti mesmo. Explora os teus sonhos, os teus desejos, as tuas sensações, até à vertigem. Observa o mundo a partir do espírito, e vê-lo-ás abrir-se, multiplicar-se, enriquecer-se. A sua profundidade é infinita. Pousa sobre o mundo os olhos do mago e ele responder-te-á pelo encantamento dando-te amor. Atrás da aparência das coisas, há estradas, passagens, que levam a outros mundos, outros universos – isto é, outros planos de realidades. Podes entrar numa imagem ou numa música utilizando a meditação, isto é, a concentração do espírito. Não oponhas o visível e o invisível, o mundo material e o mundo do espírito. Seria como afirmar que o gelo não é água. Aprende que a forma não passa de uma ilusão. Nós isolamos as formas, podemos designá-las, nomeá-las, sem saber que elas são as sequências de um ritmo eterno, como o movimento inconstante das ondas.Tudo existe. A meditação abre a passagem, arranca vendas e mordaças, desbloqueia portas e janelas, mostra-nos as outras paisagens e diz-nos: Estais lá. Deslocai-vos! Estais livres. Habitais todos os mundos!… (D.R)



…Aprende a conhecer os poderes do teu espírito, se quiseres conhecer os mistérios da vida…
(Dugpa Rinpoché)

GOSTAVA DE SER O TEU SONO


Gostava de ser o teu sono, envolver-te sem inquietude nos meus braços como uma onda em tubo que enleia no declinar das tardes de evasão. Gostava de testemunhar a calma doce do adormecimento do corpo nas escapadelas da Alma que voa rumo aos rumos que escolhe livre e misteriosamente. Gostava de ter-te em mim no repouso tranquilo que te leva para caminhos novos por onde deambulas em guerras que desconheces, em aventuras que nunca viveste, em vidas que não te lembras. Gostava de ser o teu sono, guiar-te nos terrenos dos sonhos por onde vagueias sob chuva púrpura mais perto das estrelas que conheces quando elas se reflectem no mar. Nestas viagens nocturnas nunca nos encontrámos. Podíamos unir os sonhos, mas não! Cada um tem o seu espaço livre e vivemos sonos com a suavidade dos adormecidos. Acordada, o meu coração acelera quando te vejo sorridente a olhar-me e, aí, penso em tudo menos em ser condutora de sonhos.



É apenas com o coração que se pode ver direito; o essencial é invisível aos olhos
(Antoine de Saint-Exupéry)

PUFF! A MÁSCARA CAIU…



Era inevitável, os deslizes estavam a dar nas vistas e a delinear-lhe bem o perfil. A máscara (simpática) caiu e no seu tombar quebrou o espelho de cristal que lhe iluminava o sonho. Mas, um espelho partido não volta nunca mais a ter mesma imagem. Premeditada, ingénua ou manhosamente (?) voltou a estar só…



http://www.youtube.com/watch?v=XpG_wvdhkRM




Não conheço nenhuma fórmula infalível para obter o sucesso, mas conheço uma forma infalível de fracassar: tentar agradar a todos
(John F. Kennedy)

PARABÉNS MADIBA PELOS 92 ANOS

Esteve preso 28 anos (1962 a 1990, recusou a liberdade condicional), no Presídio Robben Island, em Cape Town. O seu número de prisioneiro era o 46664. Foi guarda numa mina de ouro, estudante de Direito, advogado, e, na opinião dos adversários: líder rebelde, sabotador, guerreiro, activista, terrorista. Apesar disso, com todo o mérito, foi nomeado para o Prémio Nobel da Paz (1993). Nasceu em 18 de Julho de 1918, próximo de Umtata, capital da reserva de Transkei. Pertencia à família real da tribo Themba, chefiada por seu pai, Henry Gadla Mandela. Foi um dos maiores líderes políticos da História Moderna. O seu nome é Nelson Rolihlahla Mandela e concretizou (até aí impensável) o feito de ser eleito o primeiro presidente negro da África do Sul (1994 a 1999).

Comandou a transição do regime de minoria ganhando o respeito internacional pela sua luta em prol da reconciliação interna e externa. A luta contra o apartheid, a postura firme e moderada no período de transição para uma ordem democrática sem segregação, o claro objectivo de operar a reconciliação nacional que norteou as suas relações com o presidente Frederik de Klerk, valeram-lhe um inesgotável prestígio no país e no estrangeiro. Mandela é, provavelmente, o político com maior autoridade moral no continente Africano, o que lhe tem permitido desempenhar o papel de apaziguador, conciliador, em tensões e conflitos. O percurso de vida de Nelson Mandela revelou-se extraordinário. Tendo estado preso 28 anos soube resistir a qualquer espécie de revolta que a ausência de liberdade poderia ter fomentado. Hoje, faz 92 anos. Parabéns ao Homem que dominou todas as circunstâncias da sua vida, que ultrapassou limites, que ousou sonhar, lutar e vencer. Que foi sofredor, sereno, humilde, sabedor e fascinante.

A educação é a mais poderosa arma pela qual se pode mudar o mundo
(Nelson Mandela)