GOSTAVA DE SER O TEU SONO


Gostava de ser o teu sono, envolver-te sem inquietude nos meus braços como uma onda em tubo que enleia no declinar das tardes de evasão. Gostava de testemunhar a calma doce do adormecimento do corpo nas escapadelas da Alma que voa rumo aos rumos que escolhe livre e misteriosamente. Gostava de ter-te em mim no repouso tranquilo que te leva para caminhos novos por onde deambulas em guerras que desconheces, em aventuras que nunca viveste, em vidas que não te lembras. Gostava de ser o teu sono, guiar-te nos terrenos dos sonhos por onde vagueias sob chuva púrpura mais perto das estrelas que conheces quando elas se reflectem no mar. Nestas viagens nocturnas nunca nos encontrámos. Podíamos unir os sonhos, mas não! Cada um tem o seu espaço livre e vivemos sonos com a suavidade dos adormecidos. Acordada, o meu coração acelera quando te vejo sorridente a olhar-me e, aí, penso em tudo menos em ser condutora de sonhos.



É apenas com o coração que se pode ver direito; o essencial é invisível aos olhos
(Antoine de Saint-Exupéry)
Advertisements

2 responses

  1. lindo! mesmo!…beijinho

    Julho 23, 2010 às 9:05 am

  2. MEB

    Obrigada. Beijinho

    Julho 23, 2010 às 8:33 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s