A NOITE MAIS EMOTIVA DO ANO

 

Poucas horas nos separam já da grande reunião familiar que acontece anualmente sob o signo Natalício. A noite de Natal oscila entre a grande alegria, a profunda depressão, a disfarçada angústia ou a subtil indiferença. É uma noite abrangente que envolve, toca a todos. De formas diferentes mas é, efectivamente, a noite mais emotiva do ano: para as personagens das grandes ceias, dos grandes encontros, das grandes prendas das grandes alegrias.

É a noite mais emotiva do ano para os que não têm grandeza em nada, nem na ceia, nem nas prendas e muito menos na alegria.  É a noite mais emotiva do ano para quem só escuta (ao longe) os ecos das grandes festas e se recolhe na noite, geralmente fria, numa solidão dolorosa povoada de lembranças, percorrendo, na vida, trilhos sem entusiasmo e sem objectivo. É a noite mais emotiva do ano para os que já não estão, mas ainda habitam  nos corações dos familiares.

É a noite das grandes energias, das grandes esperanças, e dos grandes vazios. Do abraço que não se deu, do sorriso que não se partilhou, da chamada que não se fez, da mensagem que se guardou, da lágrima furtiva que se escondeu. Das palavras que não se disseram. Da confissão que não se fez. Mas, o Natal, relembra ao Mundo a mensagem vinda de Belém que já ultrapassou milénios, e não se esbateu na intranquilidade desesperante da Humanidade. Ano após ano as estrelas brilhantes (da congelada noite natalícia) relembram a espiritualidade que deve envolver o nosso coração.

Devemos mergulhar nessa espiritualidade e deixar que as surdinas do vento nos envolvam num abraço aconchegante de magia que une  a Terra ao Céu. E, aí, as prendas, os risos contagiantes das crianças, os abraços que não se trocaram, a mão que não se apertou, o beijo que não se deu, a chamada que não se fez, misteriosamente, resplandecem numa dimensão maior. Feliz Natal.

 

 

O Homem não é importante pelo seu Ego ou pela sua personalidade. O Homem é importante porque, como Alma, ele é parte de Deus

(Paramhansa Y.)

Advertisements

27 responses

  1. Querida amiga!

    Hoje venho só dar-lhe os parabéns 🙂
    vai ver como daqui a nada sabe mais do que a madrinha 🙂

    Já devia estar na cama, vou agora.
    Até amanhã
    Beijinhos

    Dezembro 24, 2010 às 1:24 am

  2. Luis

    Minha Querida Amiga,
    Tenho andado arredio mas não podia deixar de lhe vir desejar um Feliz Natal e um 2011 muito Próspero.
    Um beijinho muito amigo.

    Dezembro 24, 2010 às 1:24 am

    • Amigo Luís, obrigada. Agradeço e retribuo e desjo igualmente tudo de bom para si. Sempre. Todos os dias do ano. Beijinho

      Dezembro 24, 2010 às 1:07 pm

  3. Querida Ná

    Desejo que esteja melhor, preparada para a noite de hoje. Como vê já estou a abrir um pouco as asinhas informáticas. Toquezinho aqui, ali e, lá vai. Tenho uma boa instrutora. Só podia fazer progressos. Obrigada
    Beijinho
    MElvira

    Dezembro 24, 2010 às 1:57 am

  4. Vim deixar um abraço bem apertado e um grande beijinho com votos de um Feliz Natal

    Dezembro 24, 2010 às 5:07 pm

    • Lilás – Obrigada pelo abraço, pelo beijinho pelos votos de Feliz Natal. Agradeço, retribuo e desejo um excelente 2011. Beijinho

      Dezembro 25, 2010 às 1:06 am

    • Obrigada, retribuo e desejo um Novo Ano amável que nos permita concretizar sonhos e ambições. Beijinho

      Dezembro 27, 2010 às 8:02 pm

  5. chica

    Vim te desejar um lindo e muito feliz Natal! beijos,chica

    Dezembro 24, 2010 às 5:41 pm

    • Obrigada. Retribuo. Que o Natal esteja sempre na sua vida. Beijinho

      Dezembro 25, 2010 às 1:09 am

    • Obrigada. Foi bom, desejo que o seu também o tenha sido. Um excelente 2011. Com esperança

      Dezembro 27, 2010 às 8:00 pm

  6. Querida amiga!

    Belíssimo texto que abrange todos… não se esqueceu de ninguém.
    Que assim seja!
    Uma noite emotiva, feliz e especialmente de lembrança de todos os ausentes mas sempre presentes nos nossos corações.

    Gostava que soubesse que geralmente o Natal cá em casa é celebrado na companhia de um ou dois amigos que não podem estar, ou não têm família.
    O Pedro só cá esteve um ano desde que foi para a Suiça. Em doze anos, consegui vir a casa no ano em que o avó materno faleceu.
    Veio em Dezembro e o meu querido pai partiu em Janeiro, dia 13.
    Este ano, para já, estaremos só eu o José.
    Pode ser que mais alguém apareça ao portão.

    Feliz Natal!
    Beijinhos

    Dezembro 24, 2010 às 5:46 pm

  7. Querida amiga!

    Belíssimo texto que abrange todos… não se esqueceu de ninguém.
    Que assim seja!
    Uma noite emotiva, feliz e especialmente de lembrança de todos os ausentes mas sempre presentes nos nossos corações.

    Gostava que soubesse que geralmente o Natal cá em casa é celebrado na companhia de um ou dois amigos que não podem estar, ou não têm família.
    O Pedro só cá esteve um ano desde que foi para a Suiça. Em doze anos, consegui vir a casa no ano em que o avó materno faleceu.
    Veio em Dezembro e o meu querido pai partiu em Janeiro, dia 13.
    Este ano, para já, estaremos só eu o José.
    Pode ser que mais alguém apareça ao portão.

    Feliz Natal!
    Beijinhos

    Dezembro 24, 2010 às 5:49 pm

    • Queridíssima Ná. Desejo que tenha tido uma agradável noite de Natal. Apesar de serem dois, são multidão na vossa amplitude de ser. São um mundo! Sei o que são Natais de ausência, mas sei também que com Ele no coração transpomos obstáculos que nos amarguram. Sabe, amiga, este texto é muito cá de dentro. Confessei ao vento o que não tive coragem de dizer… Liberdades poéticas.

      Dezembro 25, 2010 às 1:13 am

  8. Brumas de Sintra,
    Muito obrigada por ter-me conduzido a este espaço lindo, de palavras sábias e onde se respira paz e serenidade, com música de fundo igualmente lindíssima.
    Logo ao entrar chamou-me a atenção o pensamento de Voltaire, que não conhecia, e que deixou tranquila, já que me deixo muito mover pelas paixões daquilo em que acredito e não sei muitas vezes medir as consequências das minhas palavras, que não têm o mesmo impacto em toda a gente, como é lógico.
    Muito me honrou a sua visita e fiquei por ter entendido a mensagem que pretendi transmitir naquele poema, mas acima de tudo (o que mais me emocionou)foi ter captado o sentir que nela seguia.
    Vou seguir o seu blog, se me permite.
    Beijo.

    Dezembro 25, 2010 às 7:48 pm

    • Como deve calcular a maciez das suas palavras deixou-me bem. Melhor dizendo, deixou-me feliz. E, para ser mesmo sincera: deixou-me vaidosa. Não é troca de galhardetes mas adorei o seu espaço que encerra uma sensibilidade viva. Vou voltar, claro. Ainda não domino a técnica dos comentários. Só hoje descobri o seu! Mas com o tempo foi ficar perita. Desejo-lhe um excelente 2011. Beijinho

      Dezembro 27, 2010 às 7:58 pm

  9. isa

    Belíssimo e terno o seu texto.
    Bom Ano de 2011!
    Beijo.
    isa.

    Dezembro 27, 2010 às 11:12 am

    • Obrigada Isa. Retribuo os votos de um excelente ano. Sabemos que não vai se fácil mas é mais um ano em branco que podemos preencher com boas páginas das nossas vidas. Beijinho

      Dezembro 27, 2010 às 7:24 pm

  10. Querida amiga!

    Já estamos quase a entrar no Novo Ano.
    Oxalá ele nos dê, pelo menos, o mesmo de bom que recebemos este que agora termina.

    Vou a Lisboa depois de amanhã, mas será numa visita organizada e não terei tempo para nada extra programa.
    Gostaria muito de lhe dar um abraço, mas terá de ser para outra altura.

    Beijinhos

    Dezembro 27, 2010 às 7:40 pm

    • Querida N

      pena mas, como diz, ficar para a prxima. Estamos a poucos passos de 2011. Que ele nos traga serenidade, paz, Luz, Amor e esperana. Beijinho, amiga MElvira

      Dezembro 27, 2010 às 7:46 pm

  11. O seu texto é belíssimo…já lá vai essa noite que suscita emoções tão diferentes em todos nós.
    Agora vem aí um novo ano…que ela seja de esperança e renovação…que traga a todos o recomeço desejado.
    Feliz 2011
    Carinhos
    LOLI

    Dezembro 27, 2010 às 10:37 pm

    • Loli, obrigada pela simpatia em relação ao meu texto. O Natal é mesmo um eterno fervilhar de emoções. Temos de estar prontas para receber o Ano Novo que se aproxima com confiança, esperança, Amor. Desejo-lhe o melhor, para si e para os seus. Um abraço forte
      MElvira

      Dezembro 28, 2010 às 6:21 pm

  12. Amiga Elvira!

    Vim desejar-lhe boa noite e deparo com um comentário com sinais estranhos…
    Será precisa assistência técnica que não domino????!!!!!!!!!!
    Brinco…

    Pois assim é amiga! Esta viagem estava marcada há tanto tempo que já nem me lembrava.
    Vou com o grupo da disciplina da Oralidade da Biblioteca de Cerveira, cuja coordenadora e professora é a Maria José Areal.
    Vamos tentar viajar até ao século IX e viver um dia na pele de Eça de Queiroz.
    No ano passado fomos a Tormes, ao Douro. Neste vamos a Lisboa.

    Espero que não apanhe muito frio para não piorar.
    Estou quase boa.

    Beijinhos

    Dezembro 27, 2010 às 11:33 pm

    • Ná, amiga
      Não é nada codificado! Mas, também não sei o que é. Apareceu assim depois de publicado. Antes estava bem. Deve ter sido uma visita interessante e motivadora a sua a Lisboa e ainda por cima no século IX. Espero que não tenha apanhado muito frio. Eu apanhei. Tem de estar curadíssima para a meia-noite, a ponte entre um a outro ano. Tudo de bom. Tchim…Tchim… Tudo de bom, Ná, para si e para os seus. Obrigada por tudo. Uma madrinha adorável. Beijinhos
      MElvira
      * O blog, hoje, não está bom da “cabeça”. Tanto tenho barra como não. Estava a ver que não escrevia mais…

      Dezembro 28, 2010 às 6:15 pm

  13. Boa tarde Elvira,
    O Natal já lá vai, fica em nós o sabor amargo da impotência, no desejo de o querermos prolongar todos os dias do ano. O Novo Ano está a chegar, e muito sinceramente, eu desejo que Deus dê em dobro, a todos tudo o que desejo para mim!

    Beijinho amigo e Feliz Ano Novo.

    Ana Martins

    Dezembro 28, 2010 às 3:26 pm

    • Boa tarde Ana,
      O Natal passou mas, por certo, deixou-nos no coração uma chama dinamizadora que nos renova e aconchega. Que 2011 seja, Ana, aquilo que desejamos. Sabemos, à partida, que “nasce” já com a fama de difícil. Mais uma razão para estarmos atentas e redobrarmos esforços de lutar e de vencer. Conseguiremos. Beijinho
      MElvira

      Dezembro 28, 2010 às 6:10 pm

  14. Amiga Elvira!

    Querida, há dias assim com todos os computadores, quando não épocas 😦
    Fazem-nos perder a paciência 🙂 eu sei como é!

    Minha amiga, vou sair às 3.45 da manhã de casa para partir às 4.00 para Lisboa, esta madrugada.
    A visita terá lugar amanhã em Lisboa e faremos o circuito habitual de Eça de Queiróz.
    Vamos tomar o pequeno almoço ao mesmo café e tudo.
    Depois conto-lhe tudo.

    Sei que estará mau tempo e não posso arriscar piorar, por isso vou muito bem agasalhada e bem confortável.
    Nada de saltos altos nem saias.
    Vai chover e por isso levarei dois pares de botas. O kispo leve mas bem quente, tapará até metade das botas e pronto.
    Daqui a nadinha vou lanchar/jantar e cama… tentar dormir :)))

    Falamos na sexta feira.
    Quero desejar-lhe um Feliz Ano Novo … novamente!

    Antes de ir, queria ainda dizer-lhe que este ano que passou e que agora está a terminar, tive desgostos enormes, decepções brutais com “amigos” que me fizeram pensar em desistir …
    Felizmente, porque há realmente pessoas boas, entre elas a nossa amiga Ana Martins, a Lolipop e outras… eu consegui superar e aqui estou!!! Hoje muito feliz e agradeço a todos os que me foram surgindo e deram nova cor à minha vida.

    A Elvira faz parte da minha vida há há muito tempo. Embora sempre presente no meu pensamento, estava longe… só (pensava eu) e sentia-me mal.
    Tinha que a trazer ao convívio das pessoas de bem que eu conheço.
    Por isso e porque a sinto mais feliz, valeu a pena tudo o que passei.
    Sinto-me feliz.
    Afinal aconteceu tanta coisa boa que já mal me lembro do que me fizeram e juro que até já perdoei.
    Que o Novo Ano me dê pelo menos o mesmo.

    Beijinhos

    Dezembro 28, 2010 às 6:56 pm

    • Querida Ná

      Um ano é sempre uma súmula de tantos acontecimentos. De tantas surpresas agradáveis ou não, de decepções, alegrias, entusiasmos e apatias. São 3oo e tal dias repletos e emoções. A Ná viveu as suas com serenidade ou revolta como foi o caso do blog que já está perdoado, mas ainda não totalmente esquecido. Doeu. E o que dói, fere! E o que fere leva tempo a cicatrizar.

      Ao longo deste ano a amiga foi como uma trapezista de base que nunca larga quem está ao lado. Assim fui eu: voava, desajeitadamente, pela blogosfera mas a Ná estava sempre atenta aos meus perigos e, isso, é inesquecível. A capacidade de ser solidária é de uma grandeza humana profundamente nobre.

      Hoje, estou na nova casa a aprender. Já voo melhor (com rede) mas se olhar disfarçadamente, a um canto do trapézio lá está a Ná pronta a dar-me a mão se eu correr o risco de cair.

      Desejo que a sua viagem a Lisboa seja um sucesso. Se sinta feliz e saboreie a iniciativa. É bom saber que está pelos mesmos ares que respiro aqui. Cuide-se, o frio é intenso e a Ná tem de estar totalmente curada para receber o menino 2011. Beijinho
      MElvira

      Dezembro 28, 2010 às 8:02 pm

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s