TENHO SAUDADES DAS PALAVRAS QUE NÃO LI

senhora a pensar à janela

Tenho saudades do que não li, da sedução das palavras que não senti, das cartas que não recebi. Cartas que laivos de vento levaram para os caminhos dos poetas que falam de sonhos, de amor, de vida, de partidas, de chegadas. Tenho saudades da magia das palavras que não disseste quando me olhaste mas não falaste ao coração. Tenho saudades da esperança que voou como pássaro perdido em neblinas tardias, em rumos desconhecidos que acinzentaram luares, vibrações, empalideceram sorrisos, sonhos, ilusões, soprando emoções como musas perdidas, sereias sem canto em choros e silêncios. Tenho saudades das palavas que o vento levou como se fosse pássaro azul de asas abertas cortando bancos de nuvens navegando nas brisas das memórias Hoje, sonhei com a saudade da sedução das palavras que não li e senti saudades de mim. (Maria Elvira Bento)

 

Os sonhos têm luz própria, uma luz que não vem de nenhum Sol, de nenhuma Lua, de nenhum foco. Está em toda parte

(Mário Quintana)

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s